segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mas ficaria contando as horas (Proust)

"- Não poderia viver sem ti.
- Não, isso não - respondeu-me com voz alterada. - É preciso ter o coração mais forte. Pois então, que não seria de ti no dia em que eu viajasse? Pelo contrário, serás ajuizado e feliz.
- Sim, serei ajuizado se não fores mais que por alguns dias, mas ficaria contando as horas.
- E se eu me for por alguns meses... - só de ouvi-lo apertava-se-me o coração - ou por anos... ou por...?"

(Marcel Proust in: Em busca do tempo perdido vol. 2 - À sombra das raparigas em flor.Tradução de Mario Quintana. Ed. Globo, p. 365)

7 comentários:

  1. É muito difícil deixar quem amamos, independente de tempo!

    Adorei o trecho e a imagem! Casamento perfeito! ^^

    Beijos, Vanessa!

    ResponderExcluir
  2. O tempo e suas travessuras...o "amor" simbiótico bem que poderia tomar um antibiótico!

    ResponderExcluir
  3. E se o tempo não fosse perdido mais fosse achado.

    Como é difícil o não... como é difícil ser castrado. Talvez seja por isso que se tem o desejo do amor para sempre... sem limites...

    ResponderExcluir
  4. E o tempo afastados passa tão mais lentamente...

    ResponderExcluir
  5. é o tempo é um problema que não tem cura!

    ResponderExcluir
  6. Cena de um filme muito significativo!
    :)

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now