sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Das palavras necessárias


“Sou do tempo da cisão. Do desdobramento. Das palavras necessárias. Agora, sinto urgência de dizer o desnecessário. Dizer tudo o que me apetece, de forma simples. Usar as palavras como simples extensões da personalidade – as mulheres são melhores nisso do que nós. Mais livres. Mais sérias, também. Demasiado analíticas. Tudo tem de significar alguma coisa.”

(Os íntimos, Inês Pedrosa, Ed. Alfaguara, p.71)

10 comentários:

  1. rsrs
    Muitas vezes, tudo pode significar exatamente nada.
    fazer uq, né...

    ResponderExcluir
  2. O desnecessário cada vez mais faz parte de nossa vida, de nosso mundo. O essencial virou de ponta-cabeça.

    ResponderExcluir
  3. nem sempre e nem todas.. mas é para pensar.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Pra cada dito
    É tanto infinito
    Que não cabe nos dedos...

    ResponderExcluir
  5. E não é que é verdade? Os homens andam mal de mais com suas palavras. Estou procurando prumo...
    Abração

    ResponderExcluir
  6. Existem fugas dessa regras tambem existem homens capazes de comunicar....rs...bjs

    ResponderExcluir
  7. estou lendo - por tua recomendação :)

    beijos

    ResponderExcluir
  8. "Tudo tem de significar alguma coisa.”
    a ressignificação de tudos e nadas faz de nós náufragos semânticos. há tanto para lá da hermenêutica existencial...
    beijo!

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now