quarta-feira, 9 de março de 2011

enquanto eu vivera a morte por alegria - Clarice

"Porque eu também já morri de alegria muitas vezes na minha vida. E quando passava essa espécie de gloriosa e suave morte, eu me surpreendia de que o mundo continuasse ao meu redor, de que houvesse uma disciplina para cada coisa, e de que eu mesma, a começar por mim, tinha o meu nome e já entrara na rotina: pensara que o tempo tinha parado e os homens subitamente se tinham imobilizado no meio do gesto que estivessem executando - enquanto eu vivera a morte por alegria."

(Da crônica: Morte de uma baleia. Clarice Lispector)

9 comentários:

  1. Morrer de alegria será gostoso, acredito. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. A intensidade nos leva a viver assim...Nem nossos desalentos são rasos...Lindo, Vanessa...Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. A morte por alegria. Claro e confuso.

    ResponderExcluir
  4. Lindo e forte. Posso dizer que já morri de alegrias, mas tbm de tristezas. Mas sempre ao extremo, nunca um meio termo.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. São essas ambiguidades da tragédia da vida, que a Clarice sabia ver tão bem.

    ResponderExcluir
  6. Adoro chegar na última página de um bom livro, bem lido e bem vivido - é uma morte alegre.

    ;-)

    ResponderExcluir
  7. Muito bom passar da simples alegria para a euforia. Pena que muitas vezes, esse percurso seja solitário e assustador para muitos.

    ResponderExcluir
  8. Há cada final de dia uma nova morte! Tudo renasce...

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now