sábado, 5 de junho de 2010

eles não se esgotassem, não perdessem o encanto, não tivessem um fim


"Amor de verdade, amor mesmo, eu só conheci dois, e tanto os amei que nunca os prendi e acabei até fugindo para que, de alguma forma, eles não se esgotassem, não perdessem o encanto, não tivessem um fim".

(Amadora, Ana Ferreira, p. 107)

11 comentários:

  1. A única forma de conhecer o paraíso é abandoná-lo, disse Carpinejar. Amor bom é amor livre...

    ResponderExcluir
  2. Olá,Vanessa
    Amei o blog!
    Lindo de morrer!!
    Visita o nosso tb.
    Bjão!!

    ResponderExcluir
  3. amor é mais abandono que doação, rasga-se o eu para ser d'outro.

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Hoje eu descobri que ser abandonado ou abandonar, não significa que não deixamos de amar!

    ResponderExcluir
  5. è uma boa solição, amar menos para sofrer menos.

    Bjs

    Insana

    ResponderExcluir
  6. Meus amores de verdade
    como de livro
    também foram dois
    duraram, e depois
    terminado o cultivo
    devolvi-os à liberdade

    ResponderExcluir
  7. um tanto de falta pra manter o desejo.

    ResponderExcluir
  8. Às vezes dá vontade de guardar os bons momentos em formol,mas perderiam todo seu brilho.
    Bjs

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now