quinta-feira, 3 de junho de 2010

clandestino


"Respondeste que a verdade é que estás apaixonada por mim e que eu gosto de ir para a cama contigo e ponto final. E me perguntaste se me parecia bem magoar alguém por causa de uma verdade tão pindérica, ou se eu queria ser teu namorado. Não, não quero ser namorado de ninguém. A vida já não pode ser clandestina, que o seja ao menos o amor".

(Como de costume, conto de Fica comigo esta noite, Inês Pedrosa, p. 112)

3 comentários:

  1. clandestinamente tocante, este post...
    beijinho!

    ResponderExcluir
  2. Nossa!
    Se encaixa perfeitamente na minha situação...
    Adorei!

    ResponderExcluir
  3. Adorei... Amores clandestinos. Tenho de pensar mais a respeito... rs

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now