domingo, 3 de abril de 2011

Que fazer? Qual gesto?

"Eu estava dentro de uma cruel iluminação, sob o impiedoso olhar das coisas. Como sabem ler todos os indícios, os pensamentos secretos, condenar-me-iam pela menor intenção. No entanto, eu precisava de amor. Que fazer? Qual gesto? Muita dor permanecia contida em mim. Se eu lhe abrisse uma única e diminuta comporta, sua onda iria precipitar-se em meus gestos e cumprir quem sabe o quê."

(Jean Genet in: Pompas fúnebres. Ed. Nova Fronteira, p. 43)

7 comentários:

  1. Realmente há horas em que os gestos somem e nos ficam os vazios da inércia.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Vanessa!
    Profundo, reflexivo.
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  3. Se um beijo for um gesto...Melhor não viver na inercia...beijos achocolatados

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now