segunda-feira, 25 de abril de 2011

como uma máquina em pleno funcionamento


Ted Baron
“(...) a alegria fazia bater-me ruidosamente o coração, como uma máquina em pleno funcionamento, mas imóvel, e que, para descarregar sua velocidade, apenas pode girar sobre si mesma no mesmo lugar.”

(Marcel Proust in: Em busca do tempo perdido vol. 2 - À sombra das raparigas em flor.Tradução de Mario Quintana. Ed. Globo, p. 619)

7 comentários:

  1. Um dos meus preferidos! Imortal.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Alegria!
    Nada melhor que ela pra dar um Up! na segunda-feira...

    (*=

    ResponderExcluir
  3. Será que, por isso, quando me encontro apaixonado, sinto-me rodar igual pião?

    ResponderExcluir
  4. Alegriaaaaa... bate, ecoa e vive em nosso coração...

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now