quarta-feira, 20 de abril de 2011

a distância que as suas palavras guardavam da realidade

Ilha do medo
"Media o esforço que lhe custara arrancar aquilo do fundo do peito; e depois que se decidira bruscamente, como quem arranca um espinho cravado muito fundo na carne, estacara admirada com o som hesitante da sua voz - percebia a distância que as suas palavras guardavam da realidade e não podia deixar de se inclinar quase com espanto, ante o vazio, o silêncio e a inexpressividade de sua frase."

(Lúcio Cardoso in: A luz no subsolo. Ed. Brasiliense, p. 15)

6 comentários:

  1. Nossa, imaginei uma cena de teatro agora.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito Vanessa, faço do comentário da Andressa o meu, imaginei uma cena de teatro!

    ResponderExcluir
  3. Delícia estar aqui com vc de novo...Saudade.

    ResponderExcluir
  4. Que liiiiindo!
    Adorei!
    Beijos meus

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now