quarta-feira, 6 de abril de 2011

Ninguém sabe despedir-se de nada - Inês Pedrosa

"(...) mas é a sua alma de navegadora, que está trazendo estas ondas de felicidade quotidiana para dentro do deserto da minha vida. Não se arrependa de ficar, Clara querida. Precisa mesmo de se despedir desse Sebastião? Para quê carregar essa nossa curta existência com despedidas? Ninguém sabe despedir-se de nada - não inventámos a eternidade para evitarmos as despedidas?"

(Inês Pedrosa in: A eternidade e o desejo. Ed. Alfaguara, p. 166)

10 comentários:

  1. Verdade verdadeira. A propósito, amo esse filme aí da tua foto.

    ResponderExcluir
  2. Ninguém sabe despedir-se de nada... é verdade.

    ResponderExcluir
  3. Inês, Liz Taylor e Clara é demais pra mim.

    Esse foi meu primeiro livro da Inês e o que pedi pra ela autografar.
    :)

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Ninguém sabe despedir-se de nada que ainda tenha ficado.

    ResponderExcluir
  5. Ninguém sabe despedir-se de nada.

    ResponderExcluir
  6. "não inventámos a eternidade para evitarmos as despedidas?"
    pensei que essa fosse a tarefa da poesia :)

    ResponderExcluir
  7. a eternidade é mesmo invenção humana.

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now