segunda-feira, 4 de abril de 2011

mas como?

"Conhecemos o caráter dos que nos são indiferentes, mas como poderíamos apanhar o de uma criatura que se confunde com a nossa vida, que em breve não mais separamos de nós mesmos e sobre cujas motivações não cessamos de fazer ansiosas hipóteses, perpetuamente retocadas?"

(Marcel Proust in: Em busca do tempo perdido vol. 2 - À sombra das raparigas em flor.Tradução de Mario Quintana. Ed. Globo, p. 553) 

3 comentários:

  1. estou gostando de vê esse moço sempre aqui :)

    na lista para minha próxima leitura.
    beijos Van =}

    ResponderExcluir
  2. Fica tudo mais confuso e difícil de definir...

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now