quarta-feira, 27 de julho de 2011

a suave narcose em que a arte nos coloca

Klimt
"Quem é sensível à influência da arte não tem palavras o suficiente para louvá-la como fonte de prazer e consolo para a vida. No entanto, a suave narcose em que a arte nos coloca não é capaz de produzir mais do que uma fugaz libertação das desgraças da vida, e não é forte o bastante para fazer esquecer a miséria real."

(Freud in: O mal-estar na cultura. L&M Pocket, p. 71)

7 comentários:

  1. que belo vanessa..
    muito bom..

    bjos pra ti

    ResponderExcluir
  2. Lindo. Freud me inspira, grandioso.

    ResponderExcluir
  3. Olá Vanessa

    Realmente Freud pensava, pensava, pensava, depois escrevia, escrevia, escrevia e por fim acertava, acertava, acertava; absolutamente clarividente e quanto à arte, narcoticamente correcto.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Venho aqui todos os dias, pra me sentir melhor. É isso.

    ResponderExcluir
  5. Tem como não ser freudiano depois disso?!

    ResponderExcluir
  6. E assim são, também, as palavras, narcóticos verbais ...

    ResponderExcluir
  7. Entorpecidos pela arte, fazemos da nossa vida, a nossa arte...E vivemos assim...

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now