sábado, 28 de maio de 2011

uma outra pessoa íntima e estranha, feita de pedaços de você e de pedaços de mim.

Charles West Cope

“Jamais pedi um beijo. Em menina eu os dava, simplesmente. Agora tenho remorsos desse beijo que pedi em vez de dar, e você me negou. Medo de ter perdido o ímpeto confiante de beijar. Me sinto, como escreveu Clarice Lispector, sozinha na noite de outra pessoa – uma outra pessoa íntima e estranha, feita de pedaços de você e de pedaços de mim.”

(Inês Pedrosa in: Os íntimos. Ed. Alfaguara, p.94)

13 comentários:

  1. é por isso que penso que beijos devem ser apenas dados ou roubados.

    ResponderExcluir
  2. Absolutamente profundo, não?!
    E Clarice Lispector, sempre mandando MUITO BEM!

    :)

    ResponderExcluir
  3. É tão ruim ser feita e pedaços... estou nessa fase, procurando os meus pra fazer uma nova de mim mesma.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Se perder na noite de outro. Eu estou tentando me encontrar em alguma noite...

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus, que saudade daqui!
    E chego, e me deparo com esse lindo trecho da Inês Pedrosa..e me lembro de: "Vais encontrar tua voz.."

    Saudades tia.
    Desculpe a minha falta, que te desculpo a sua.
    beijos enooormes

    ResponderExcluir
  6. Indescritível, Nos textos Inês soube encantar com as mãos e escrever coisas deliciosas.

    ResponderExcluir
  7. ¨ sozinha na noite de outra pessoa – uma outra pessoa íntima e estranha, feita de pedaços de você e de pedaços de mim.”

    Quando não se é inteiro acaba-se por se perder em outra pessoa e consequentemente sente-se só, sem a própria presença, ausente de si mesmo.

    ResponderExcluir
  8. a espontaneidade perdida..
    beijo

    ResponderExcluir
  9. Lindo trecho... E Inês e Clarice juntas é covardia... :)

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now