quinta-feira, 5 de maio de 2011

Dostoiévski, sorte e pessoas especiais

"(...) e ouvi as suas primeiras palavras, desde aquele instante senti leveza na alma pela primeira vez. Há pouco já cheguei a pensar que talvez eu seja de fato um felizardo: porque eu sei que a gente não encontra logo as pessoas de quem a gente passa a gostar imediatamente, mas eu as encontrei..."

(Fiódor Dostoiévski in: O idiota. Tradução de Paulo Bezerra. Ed. 34, p. 100)

6 comentários:

  1. Não sou uma grande conhecedora de Dostoiévski mas acho ele um sábio, um conhecedor da alma humana :)

    ResponderExcluir
  2. Já disse por aqui, Dostoiévski é um dos homens da minha vida. É sempre bom reencontrá-lo nas esquinas da vida.

    ResponderExcluir
  3. Dostoiévski é simplesmente espetacular!
    Sou apaixonada pelo "Memórias do Subsolo"...
    Bjs amada!
    Déia

    ResponderExcluir
  4. Penso que é uma procura para vida inteira, afinal se conhece pessoas novas que podem agregar esse universo do gostar... e vamos por ai gostando (amo gerúndio).

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now