quarta-feira, 25 de maio de 2011

A obsessão tem vida própria

Lolita
"O tempo é que Humbert procura abolir. O tempo é o inimigo de todos os amantes. Nabokov captou a essência da obsessão tanto quanto Thomas Mann em Morte em Veneza. A obsessão tem vida própria; o objeto da obsessão, não importa o quanto insubstituível e particular possa parecer, pode mudar, embora esteja na natureza da obsessão não reconhecer isso."

(Erica Jong in: O que as mulheres querem? Ed. Record, p. 109)

7 comentários:

  1. Ai, que tem um pezinho na Psicanálise essa Jong, heim,

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga

    O tempo...
    sempre o tempo...
    a única certeza
    é que não o temos...

    Que as estrelas
    sempre brilhem em teu olhar.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu espaço,estou te seguindo te aguardo no meu cantinho fique com DEUS muita luz nno seu caminho :)!
    http://mariahkely.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. A esperança é a última que morre...

    ;-)

    ResponderExcluir
  5. Li Morte em Veneza ano passado. Estou com o filme aqui mas não vi ainda. Com o post me deu mais vontade agora rs.
    Lolita vi os filmes mas não li o livro ainda... não sei porquê.

    Até!

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now