quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

E só aos poucos as conexões vão se desfazendo, os fios vão se rompendo

"Fiquei me perguntando se o espaço que uma pessoa ocupa no mundo sobrevive à própria pessoa. Se o palco fica ali armado ainda por um certo tempo, o cenário pronto, a deixa repetida várias vezes, aguardando que a pessoa venha mais uma vez desempenhar-se. E só aos poucos as conexões vão se desfazendo, os fios vão se rompendo, as luzes vão se apagando, a pessoa vai morrendo devagar para o mundo depois de ter morrido para si mesma. Se existem duas mortes, uma íntima e individual, uma outra pública e coletiva, duas mortes que operam em ritmos diferentes."

(Adriana Lisboa in: Azul-corvo. Ed. Rocco, p. 176)

Um comentário:

  1. Infelizmente há pessoas que misturam as duas, como os suicidas.

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now