quinta-feira, 30 de junho de 2011

Palavras do Caio - da amizade

"Eu não vou te pedir nada. Não vou te cobrar aquilo que você não pode me dar. Mas uma coisa, eu exijo. Quando estiver comigo, seja todo você. Corpo e alma. Às vezes, mais alma. Às vezes, mais corpo. Mas, por favor, não me apareça pela metade. Não me venha com falsas promessas. Eu não me iludo com presentes caros. Não, eu não estou à venda. Eu não quero saber onde você mora. Desde que você saiba o caminho da minha casa. Eu não quero saber quanto você ganha. Quero saber se ganha o dia quando está comigo."

(Caio F. Abreu)

17 comentários:

  1. Gostei do post, a próxima "carta" qu'eu ia (vou) postar é sobre algo similar. :D

    ResponderExcluir
  2. "Eu não quero saber quanto você ganha. Quero saber se ganha o dia quando está comigo." Nossa, extremamente profundo.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, maravilhoso!!! "Quero saber se ganha o dia quando está comigo."...lindo!!!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a Luana esse final fechou comm tudo rsrs

    ResponderExcluir
  5. Caio e suas palavras maravilhosas.

    ResponderExcluir
  6. visto por um homem, está muito bem. mas lendo, a narradora, isso pode ser mau. ganhar o dia, pode ser visto sobre muitos prismas, o pior é se fica como Camille Claudel, vazia se levar a casa toda que é alma e corpo (porque pede o mais importante - a pessoa e não coisas materiais, que se podem sempre obter de outras formas -)!! ainda, assim repetir isso todo o santo dia e todo o santo dia, pode ficar cada vez mais vazia... (divagando)

    ResponderExcluir
  7. Não dá para viver pela metade! Tudo que é mais ou menos, é ruim!! Bom fim de semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Porque quando eu leio Caio eu imagino não só o que está escrito mas uma porção de coisas..?
    Ai Caioooo cada vez admiro mais.

    Bjs Vanessa bom dia!

    ResponderExcluir
  9. Muito lindo, Caio Fernando Abreu realmente soube escrever coisas que tocam e marcam.

    ResponderExcluir
  10. Ahh Caio, ele é sempre tão peculiar e universal! Adoro

    ResponderExcluir
  11. Por isso que Caio foi um dos melhores presentes à minha vida. Sou assim: jamais metade, sempre cheia, ou vazia. Jamais morna, sempre quente ou fria.

    ResponderExcluir
  12. que lindo!
    Caio... Sempre fantástico!

    ResponderExcluir
  13. Muito bonitas as palavras
    doces para a alma da amizade
    como deve ser!

    Um beijo
    Vanessa!

    ResponderExcluir
  14. confesso, não conhecia Caio. algo me levou a voltar aqui, para confirmar o meu texto, por sabê-lo mal escrito e dito (confundido). depois, procurei saber - caio -, e vi que tinha pensador e daí, deduzi, morto já está, e depois, olhei fotografia e deduzi, Hiv... certinho... e daí, pensei, em Al Berto um poeta português pela mesma ou quase trajectória de vida/fim e assunto comum MORTE e AMOR e SOLIDÃO e HOMOSSEXUALIDADE (nunca expressa)... claro, CADA UM a seu modo... foram f*di*os pela vida no excesso dos seus amores, essa entrega desmesurada... (entre aqueles tempos e os actuais, vai uma ponte imensa)
    não li nada ainda, sobre o autor... irei, seguramente ler.

    ResponderExcluir
  15. Eu ganhei o dia agoríssima mesmo.

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now