segunda-feira, 22 de agosto de 2011

no canto

"Adquirira desde longos anos, por medo às desfeitas, o hábito de manter-se no seu lugar, de ficar no seu canto, tanto na vida como no trem, e esperar que lhe dessem bom-dia para estender a mão."

(Marcel Proust in: Em busca do tempo perdido vol. 4 - Sodoma e Gomorra.Tradução de Mario Quintana. Ed. Globo, p. 232)

10 comentários:

  1. As vezes acho que ATÉ seria bom saber esperar... não espero!

    ResponderExcluir
  2. É a melhor escolha... Porque acho tão triste quando estende-se a mão e o outro a ignora, ou não a vê...

    ResponderExcluir
  3. É verdade, por vezes ja fiquei só, com as mãos estendidas. Mas hoje já aprendi. me calo, e só ofereço ajuda quando solicitada.

    ResponderExcluir
  4. "Mas o silêncio é certo. Por isso escrevo. Estou só e escrevo. Não, não estou só. Há alguém aqui que treme."

    (Alejandra Pizarnik)

    ResponderExcluir
  5. Não sei quem foi que escreveu que para melhor compreender as pessoas,se fazia necessário as manter a uma prudente distância...
    É isso...

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now