quarta-feira, 13 de outubro de 2010

para tentar apagar a marca do seu corpo


"Nisso tive sorte. Assim encontrei e perdi Clarisse. A torrente de cor da minha vida. Fiz-lhe demasiado mal, fornicando mulheres em série para tentar apagar a marca do seu corpo, a força do meu amor por ela. Ou pior: sem sequer me dar conta de que a amava. Nunca lho disse. Nunca o disse a ninguém. Nem sequer lhe disse que adorava as covinhas no fundo das suas costas, o sinal do seu pescoço, a largura das suas ancas. Quando me sentia viciado nela engatava outra, dez quilos mais magra, alguém que não pudesse confundir com ela. (...) Ninguém é feliz. Nenhum destes meus amigos é feliz, é também por isso que gosto deles".

(Os íntimos, Inês Pedrosa, Ed. Alfaguara, p. 59)

6 comentários:

  1. Ahh...se tivesse dito, seria tudo tão diferente.

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  2. Amar também é questão de direcionamento...

    ResponderExcluir
  3. Olá! Tem presentinho pra vc lá no blog:
    http://michele-dos-santos.blogspot.com/2010/10/um-beijo-paulinha.html
    Espero que goste. Repasso com carinho a quem sigo, pois são merecedores do selinho.
    Bjs e ótimo REcomeço de semana.
    Mih

    ResponderExcluir
  4. .

    Difícil apagar o que está marcado em nós.

    ResponderExcluir
  5. Se existe uma estratégia testada e reprovada ao longo dos tempos é essa.

    Beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  6. Há marcas que não saem, mas nós até que gostamos disso... rs
    Teu blog é um encanto!

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now