segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Impulsos


"E Luísa, magoada, devolveu a seta e me disse que eu não poderia jamais escrever o grande romance porque o meu impulso para destruir era muito mais forte do que o meu impulso para criar".

(Luísa (Quase uma história de amor), Maria Adelaide Amaral)

7 comentários:

  1. Eu pelo menos, sou quase sempre assim. Afinal, destruir é muito mais fácil que construir.

    ResponderExcluir
  2. perdoe-me as ausencias, mas este teu novo blog não está atualizando pelo blogger, ou então é puro desconhecimento técnico meu, mas hei de corrigir-me ou a máquina, rs,rs



    beijo

    ResponderExcluir
  3. Felicidade Clandestina18 de outubro de 2010 23:46

    Porque na maioria das vezes, é sempre assim?

    ResponderExcluir
  4. Bah! Lembro-me bem das frases cortantes dela nesse livro...

    ResponderExcluir
  5. De encontro ao que disse o amigo Assis, desde a mudança de endereço seu blog não atualiza no blogger mesmo não.

    Sobre os impulsos... entendo que são sempre abismais.

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now