quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Faltas


"Quando a vi pela primeira vez naquela festa da faculdade, ela não era nem a mais bonita nem a mais atraente, apenas uma moça magra, sozinha, espectadora da diversão dos outros. Seu retraimento, quase ostensivo, fez com que eu me aproximasse dela e a convidasse para dançar.
- Não se preocupe comigo. Eu estou bem - ela disse, olhando-me como a um intruso. Eu estava cometendo, sem saber, uma falta que se tornaria corriqueira depois: invadir a sua solidão".

(Mário, o ex-marido, sobre Luísa. Em: Luísa (Quase uma história de amor), Maria Adelaide Amaral, p. 189)

9 comentários:

  1. olha a solidão aqui também, como passeia essa criatura


    beijo

    ResponderExcluir
  2. Há que se perguntar porque alguém que deseja a solidão vai a uma festa, pedindo para ser invadida ...

    ResponderExcluir
  3. Pessoas solitárias vão em festas.. e são reconhecíveis a olho nu ... no fundo todos procuram alguém para dividir a solidão.. essa fiel companheira...

    bjus menina linda quinta pra vc

    ResponderExcluir
  4. Invadir a solidão do outro ou ter (deixar) a solidão invadida...

    Invadir + solidão.

    ResponderExcluir
  5. Já procurei esta autora nalguns sites de cá para comprar o livro mas infelizmente não encontro...

    ResponderExcluir
  6. O texto em negrito me tocou a alma, ô Vanessa ta invadindo meu jardim particular!


    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Não sei o motivo...mas não consigo gostar desta autora...

    abraço

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now