domingo, 7 de novembro de 2010

Eu não sei das outras, mas no que me diz respeito, gosto que me digam as coisas!


"SÉRGIO - Que pergunta mais idiota. Não deu para perceber...
LUÍSA - (Cortando.) Você nunca disse!
SÉRGIO - Você está fazendo um tremendo de um gênero!
LUÍSA - Eu sou uma pessoa insegura!
SÉRGIO - Por que é que as mulheres gostam tanto que a gente diga as coisas?
LUÍSA - Eu não sei das outras, mas no que me diz respeito, gosto que me digam as coisas!
SÉRGIO - Você está acima da obviedades, Luísa! Você vive no reino das sutilezas, pelo amor de Deus não me cobre declarações!
LUÍSA - (Falsa.) É que eu sou muito carente!
SÉRGIO - Você é uma grande fingidora!
LUÍSA - Você aí de pé, querendo ir embora, me faz me sentir muito infeliz!".

(Melhor teatro - Maria Adelaide Amaral, peça: De braços abertos, ed. Global, p. 200)

8 comentários:

  1. essa é outra Luisa que gosta de ouvir elogios, quem não gosta? os carentes adoram! Beijo Vanessa e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga Vanessa!!!

    Um pequeno texto teatral, bem resumido, de diálogo, que espelha a vida real. Gostei!
    Beijos de luz!!!!!!

    POETA CIGANO - 07/11/2010

    www.carlosrimolo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Porque as pessoas mais importantes sempre querem ir embora??
    E porque a gente sempre insiste para que fiquem??
    Lindo domingo para você!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei do trecho, achei que seria da sua/nossa Luísa aqui do blog com outro personagem... Mesmo assim, percebi que elas tem afinidades para além do nome.

    ResponderExcluir
  5. Afinal, o ser humano ainda não consegue se comunicar por telepatia.

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now