segunda-feira, 23 de julho de 2012

Carta para Isabella Catarina



Estava aqui olhando as fotos da Bella de novo... Pensei agora (e penso às vezes) que a infância é uma parte muito complicada da vida. A adolescência então, é um horror!
Sabes que eu fui uma criança melancólica, né? Acho que a mãe e o pai fazem de conta que eu fui feliz na infância, e às vezes fazer de conta é a melhor forma de não sofrer...
Bem, o ponto da questão é: quero que a Bella tenha uma infância MUITO feliz. Que entenda que a gente não pode tudo, que é preciso ser bacana com quem merece, que a gente pode ser indiferente para aqueles que não merecem que a gente seja legal, que veja que o mundo é uma imensidão de possibilidades. Sei que ela é sensível, e os sensíveis não passam impunes pela vida. Não acho legal impor uma religião ou ideologia para ela, enquanto ela não entender o que é isso. O catolicismo é uma máquina opressora criadora de culpas. Que ela entenda o que é legal e o que não é, mas não pela via do "papai do céu não gosta".
Sei que ela é sua filha, não minha. Mas esse pedacinho de gente é a pessoa que eu mais amo nesse mundo, e eu me preocupo muito com ela. Desejo que a Isabella tenha uma infância transbordante de alegria, enquanto detemos algum poder sobre a vida dela, as escolhas, os caminhos. Porque o que vem depois é demasiado pesado. O mundo é cheio de farpas e arestas, e haverá um dia em que nossa Pequena terá de desbravá-lo sozinha. Ela precisa saber que as palavras tem o significado que damos para elas - punhal ou felpudo. E quando alguém disser ou fizer algo que a magoe, que ela saiba que as pessoas são falhas, incompletas, cheias de vãos. Que ela também possa lidar com seus erros e tropeços. Tentar fazer o melhor é importante, mas nem sempre é possível encontrar a perfeição.
Espero que a Bella entenda que ela é a coisa mais importante do nosso mundo (você, eu, nossos pais...), mas que não é o centro do mundo para as outras pessoas. Imprima esse e-mail e guarde dentro de um livro, para ela ler quando puder entender tudo isso.
Com amor da tia/dinda,
Vane

P.S.: na semana passada mandei essa mensagem para minha irmã, que vai guardar para minha sobrinha Isabella (que tem 4 aninhos) ler, um dia.



8 comentários:

  1. Cabem tantos significados nessas palavras...

    ResponderExcluir
  2. Tantos significados e um só significante!

    ResponderExcluir
  3. Tenho certeza que ela vai gostar dessa mistura de preocupação com guia para a vida. E tem uma frase aí infinitamente verdadeira e triste: "os sensiveis não passam impunes pela vida". É uma pena, mas é assim. Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Pensei que só eu tivesse mania de escrever cartinhas aos sobrinhos petiticos... rs, rs, rs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :)
      Eu escrevia para minha "Boneca" antes dela nascer. E como moramos longe, é uma forma de sentí-la mais perto. Eu adoraria que minhas tias tivessem feito isso para mim.
      Tão bom ser tia...

      Excluir
  5. Coisas mais lindas essa sua carta e o nome de rainha da sua sobrinha.

    Tenho uma sobrinha linda chamada Isadora, que faz hoje, exatamente hoje, 17 anos. Vou imprimir essa beleza e dar de presente a ela, com o devido crédito. Porque a sua carta, Vanessa, diz, com sabedoria, muito do que eu sinto e gostaria que ela soubesse.

    ResponderExcluir
  6. Num mundo onde aos poucos a sensibilidade vai sendo esmagada pelo materialismo desconcertante existem crianças com a sorte de possuir uma fada madrinha como você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo muito muito muito nossa família! Saudades!

      Excluir

So if you have something to say, say it to me now