quarta-feira, 17 de julho de 2013

Falei muito do escrito. Não sei o que seja (M. Duras)

"Um texto é um todo que avança junto, jamais se apresenta como um problema de opção. Mesmo que eu descubra no final de um livro que tal personagem amou outro tal personagem e não o que designo, não modificarei o passado do livro, o que já está escrito, mas antes seu futuro. No momento em que me dou conta de que o amor não é aquele que imagino, estou com esse novo amor, retomo com ele, não digo que o amor abandonado fosse falso, digo que está morto. (...) Falei muito do escrito. Não sei o que seja."

(Marguerite Duras in: A vida material. Ed. Globo, p. 33-34)

Imagem: The human stain

http://www.facebook.com/vencaluisa
http://www.vemcaluisa.blogspot.com.br/

3 comentários:

  1. Hola Vanessa, saludarte y desearte un feliz
    fin de semana.
    Un beso
    Ángel-Isidro.

    ResponderExcluir
  2. A metaliteratura pode ser mesmo encantadora.

    ResponderExcluir

So if you have something to say, say it to me now